Motivação de equipe

“Motivar é investir nas pessoas. Os desafios não estão no trabalho em si, mas em você, que é o responsável por criar e manter o ambiente de trabalho.”

A realidade que as pessoas só ficam motivadas a fazer o que é de seu interesse. Seu objetivo como gerente, portanto, é fazer com que encontrem pontos de identificação entre o seu próprio bem-estar e o da organização. Quando isso acontece, os colaboradores demonstram entusiasmo natural para trabalhar com mais afinco porque isso representa a realização de alguma meta ou desejo pessoal.

Seja lá o que estejamos fazendo, será sempre porque acreditamos estar em busca de algum objetivo presente ou futuro.

Tente lembrar qual foi à última vez que você ficou entusiasmado com seu trabalho. Para a maioria das pessoas, esse arrebatamento está ligado a projetos nos quais elas acreditam poder fazer a diferença e, com isso conquistar alguma coisa para elas e para outros.

Reconheça que a verdadeira motivação esta dentro de você: as pessoas discutem se a motivação é algo pessoal ou se ela varia de acordo com fatores externos. Na verdade, ela só depende de nós mesmos, apenas de as influências externas.

Direcione os colaboradores para o que é mais importante e significativo: os gerentes precisam inspirar sua equipe a dar o melhor de si, a assumir riscos, a pensar de forma empreendedora e a libertar o potencial sinérgico que possui.

Se você quiser realmente influenciar e entusiasmar as pessoas, precisa descobrir por que elas fazem as coisas e quais são seus motivos e intenções. Sim, porque ninguém fica motivado com razões e os objetivos dos outros. “O que eu ganho com isso?”, perguntam-se. Sabendo disso, é sua responsabilidade adequar às motivações de todos às atividades e aos objetivos da empresa.

Três técnicas, usadas para influenciar pessoas:

Medo e manipulação não apresentam bons resultados:

Quando o que motiva as pessoas é o medo e a manipulação, elas mostram tão interessadas em conseguir o que desejam porque estão lutando para não perder seus empregos. Essa abordagem normalmente deixa os colaboradores ressentidos com a chefia, além de prejudicar a comunicação e a cooperação. Usar o medo para melhorar o desempenho no trabalho não dá bons resultados, primeiro porque dura pouco e, segundo, porque o efeito acaba se voltando contra os gerentes e a própria organização.

A técnica do torrão de açúcar raramente funciona:

Mais conhecida como “motivação por incentivos”, essa técnica pode eventualmente piorar o desempenho dos colaboradores. A princípio, as pessoas até trabalham mais para receber a recompensa, mas… E depois? Você precisará apresentar sempre novos e melhores prêmios – torrões de açúcar maiores e mais doces, por exemplo – porque os colaboradores exigirão cada vez mais benefícios para manter a excelência em seu trabalho.

Desenvolva uma abordagem que promova o propósito e o crescimento pessoal:

O que você precisa fazer é ajudar os profissionais a entenderem a importância de sua contribuição para a organização. Quando você enfatiza o crescimento e o desenvolvimento pessoal como forma de motivação, não está apenas ajudando sua equipe a maximizar sua contribuição – está também aumentando a produtividade da empresa. É uma vitória para todos.

Saiba o que impulsiona as pessoas.

Para que as pessoas atinjam altos níveis de desempenho, é preciso colocá-las em cargos que satisfaçam suas necessidades individuais – sem deixar de lado o que é importante para a empresa. Transformar o local de trabalho em um ambiente agradável e confortável promove uma sensação de bem-estar que afeta todos.

O segundo passo é fazer uma pesquisa comportamental e pedir sugestões de melhorias.

Aprecie o que cada pessoa tem de especial

Ao reconhecer a importância da individualidade, você demonstra que aprecia a diversidade de talentos. Quem sabe você não acaba descobrindo um diamante bruto no processo?

Peça opiniões para aumentar a satisfação

 O brainstorm eficiente, que conta com a contribuição espontânea de todos no intuito de resolver algum problema, funciona melhor quando a empresa organiza grupos de discussão específicos. É a melhor forma de conhecer as expectativas, reclamações e sugestões da equipe.

Peça que eles descrevam como seria o trabalho ideal e use o que aprendeu para tornar o dia-a-dia da empresa mais prazeroso.

Faça com que os colaboradores se sintam parceiros.

Quando as pessoas se sentem donas de algumas coisas, elas cuidam, protegem e dão tudo de si.

Uma técnica muito utilizada para despertar o pensamento empreendedor dentro da organização (além da participação nos resultados e de bônus em ações) é a redefinição dos cargos e funções. Por exemplo: Starbucks e TDINDUSTRIES se referem aos colaboradores como parceiros. Marriott, Publix Supermekets e Capital One os chamam de associados.

Uma das formas de transferir poder é fazer com que todos se sintam parceiros no negócio. Vejam outras tácitas que prometem trazer os mesmos resultados:

Encoraje o pensamento empreendedor

 Para que uma pessoa desenvolva o pensamento empreendedor, é preciso que ela veja a empresa com olhos de dono, não de subordinado. Isso significa se preocupar com os resultados do negócio e com a satisfação de todos os envolvidos. Esse é o tipo de atitude que você, como gerente, deve estimular. É algo que vai além da participação nos lucros e da concessão de promoções ou bônus – tem a ver com motivação e o orgulho de ser tratado como parceiro, e não como mero funcionário.

Explique como o negócio funciona

 Ajude a equipe a entender o que ocorre fora das quatro paredes de seu departamento. Se as pessoas tiverem noção da importância de seu trabalho e do diferencial que representam para sua empresa, certamente trabalharão de maneira mais entusiasmada. Conhecer a história da organização também aumenta o senso de orgulho e de identidade corporativa. Por isso, sugira que leiam o relatório anual, com destaque para a mensagem do presidente, e encoraje-as a apontar ações que contribuam para que as metas estratégicas sejam alcançadas. E, acima de tudo, deixe que trabalhe essas idéias.

Deixe que os colaboradores se sintam “donos do negócio”:

Se você quiser que eles dêem tudo de si, ajude-os a descobrir qual é a sua contribuição no trabalho que realizam. O segredo está em fazer com que tenham mais autonomia e se sintam parte da “tribo” e, mais do que tudo, aja como se fossem donos da empresa.

É surpreendente o quanto você pode conquistar, se não se importar com quem leva a fama”. (Abraham Lincoln.)

 

Faça ainda uma análise dos principais concorrentes, avalie os riscos, descreva o processo de decisão e o pensamento criativo.

“Melhor do que saber tudo sobre o próprio negócio é saber tudo sobre o negócio dos outros”. (John D. Rockefeller, fundador da Sandart Oil)

 

Encoraje decisões de risco inteligentes.

 

Você já se perguntou por que os colaboradores evitam tomar decisões de risco? Talvez porque, nas raras ocasiões em que tentaram e não obtiveram sucesso, foram duramente repreendidos ou até mesmo demitidos. E mesmo nos casos em que arriscaram e foram bem-sucedidos sendo recriminados por terem tido a iniciativa – afinal de contas, há canais e cadeias de comando, responsabilidades definidas e gerentes pagos para tomar decisões de risco e coisas do gênero.

Delegue poder para que a equipe tome decisões de risco:

Como líder, você deve ser o primeiro a dar exemplo, tentando coisas novas e assumindo posturas de risco. Explique como analisar os pontos críticos e avaliar as oportunidades em relação aos retornos em potencial para, então, decidir se vale à pena arriscar e se a empresa pode sustentar qualquer resultado, seja ele positivo ou negativo.

O objeto é colocar em prática as novas idéias, e não ficar procurando erros.

Os gerentes campeões de motivação são aqueles que transformam o local de trabalho em um ambiente inspirador.

Dado certo – encoraje a pessoa a aprender com os próprios erros. É sua responsabilidade incentivar a liberdade de expressão e elogiar a criatividade e a habilidade de pensar estrategicamente.

“Não há nada mais insano do que fazer as coisas sempre da mesma maneira e esperar que os resultados sejam diferentes”. (Albert Einstein)

 

Evite truques motivacionais e atitudes festivas que não levam a nada, assuma uma atitude de liderança e use suas habilidades profissionais e pessoais – você vai se surpreender com a reação positiva de sua equipe e o aumento da produtividade.

Diga o que espera das pessoas e seja específico: Aqui estão algumas questões que todos os gerentes deveriam ser capazes de responder a cada colaborador: “O que espera de mim?”; “Qual o meu papel dentro do grupo e dentro da organização?”; “O que é considerado um desempenho insatisfatório?”; “O que eu devo fazer para atingir os padrões de desempenho?”. O ideal é que as respostas sejam as mais explicadas e detalhadas possível. Isso aumenta as chances de os profissionais atenderem suas expectativas.

“Quem se entusiasma com o próprio trabalho não tem nada a temer na vida”.  (Samuel Goldwyn)

Defina a responsabilidade de cada um.

“Nem todo mundo possui os mesmos talentos, mas deveria ter a oportunidade de desenvolvê-los”. (John F. Kennedy)

 

Todos os gerentes gostam de pensar que ao influenciar o nível de comprometimento da equipe envolvida em um projeto, ela se sentirá de alguma maneira na obrigação de apóiá-lo. Mas isso não é totalmente verdade. A equipe só investe sua habilidade e energia quando de alguma forma se sente “dona”.

Tendo a oportunidade de se envolver, as pessoas ficam tão motivadas que mostram altos níveis de desempenho em todos os sentidos. A seguir, considere algumas maneiras de realizar isso de forma bem-sucedida:

Incentive a equipe a elevar os padrões de desempenho e performance

 Quando sua participação no esforço de elevar os padrões de desempenho é levada em consideração, os colaboradores dividirão ansiosamente com você as idéias e sugestões que tiverem para melhorar o processo de trabalho.

Quando se sentem valorizados, o progresso é maior do que se pode imaginar.

É importante que elas continuem sendo desafiadoras, mas realistas. Revisar o trabalho também permite reforçar a motivação e, com isso, ajudar cada membro da equipe a ter sucesso.

“Cada gerente sabe como agregar valor, mas os gerentes inteligentes sabem o que deve ser valorizado”. (Anônimo)

 

O ideal é não protelar. Quando os colaboradores completarem uma tarefa e atingirem o padrão de desempenho que você estabeleceu, recompense-os imediatamente. Isso cria um círculo vicioso positivo: quando uma tarefa é completada com sucesso, automaticamente a pessoa lembra que isso merece um prêmio.

Por outro lado, não transforme as recompensas no único motivo para que os colaboradores melhorem o desempenho.

É preciso tratar as recompensas como meros instrumentos de reconhecimento por um trabalho bem-feito, e não como a razão que justifica o trabalho.

Se você quiser premiar um funcionário de tele marketing, uma boa idéia pode ser um final de semana com hospedagem pagas.

Aumente a visibilidade dentro da organização:

 Envie um e-mail ou memorando geral com elogios quando alguém faz um bom trabalho. Isso aumenta a visibilidade do funcionário, reforçando o que fez de positivo.

Coloque o sucesso na vitrine

 Divulgar a ação de um funcionário é uma demonstração especial de reconhecimento, algo como um certificado, uma placa comemorativa ou um troféu.

“Existem duas coisas que as pessoas desejam mais que sexo e dinheiro: reconhecimento e elogios”. (Mary Kay Ash)

 

Se você imaginar o melhor para as pessoas, elas o surpreenderão demonstrando um desempenho superior ao esperado.

Mostre seu comprometimento com a qualidade, distribuindo prêmios para os campeões de desempenho.

Considere as seguintes estratégias:

1 – Peça sugestões, idéias e críticas sobre o ambiente de trabalho atual e como ele pode ser melhorado. Formalize um plano e deixe que a equipe o coloque em prática – isso é super motivador.

2 – Enfatize seu comprometimento pessoal e não esqueça de elogiar o envolvimento da equipe com o trabalho.

Um simples elogio pode ter efeitos surpreendentes. Dê preferência a agradecimentos pessoais.

Não esqueça de ser específico nos elogios.

Certifique-se de que os colaboradores terão chance de colocar em prática o que aprenderam. Dessa forma, o investimento se paga rapidamente e as pessoas têm oportunidade de assimilar realmente o que aprenderam.

Confortáveis futons para que os colaboradores tirem uma soneca depois do almoço.

Seja flexível com os colaboradores

Você sabia que ajudar as pessoas a equilibrar a vida particular aumenta a motivação.

Motivar com criatividade

 Sim, é possível motivar os colaboradores com pouco ou nenhum dinheiro. Para isso vale desde colocar um bilhete de agradecimento na porta do escritório da pessoa que se destacou naquela semana.

Faça como os outros

Seja um modelo do que você espera dos outros. Comece demonstrando entusiasmo, ressaltando o lado positivo das novas idéias. Dê exemplos de pessoas que superaram obstáculos para atingir suas metas, numa demonstração prática de que todo o problema tem solução. Faça reuniões individuais com os colaboradores, mas prefira encontros em grupo quando o moral estiver baixo. Demonstre otimismo e confiança na equipe. Concentre-se nas pequenas, porém significativas vitórias – não apenas nos grandes sucessos. Faça do trabalho uma diversão e comemore muito.

Delegue poder.

Torne sua equipe poderosa. Para isso, prepare-se para abrir mão de seu poder.

Os melhores gerentes sabem que colaboradores seguros, confiantes e capazes rendem mais. Também já estão familiarizados com o seguinte princípio básico: quando a equipe se sente excluída nos processos de decisão da empresa e sem nenhuma autoridade ou responsabilidade sobre o próprio trabalho, acaba tendo um péssimo desempenho – sem contar a tendência de se lamentar e reclamar o tempo todo.

Seu papel não é o de controlar o poder, mas usá-lo como um recurso, um meio para alcançar um fim.

Lembre-se que um dos grandes obstáculos à motivação é quando o gerente delega poder e depois volta atrás. Os melhores executivos não cometem esse erro.

Quando acreditamos na possibilidade de momentos melhores, um futuro mais brilhante se descortina. Como gerente, seu trabalho mais importante é justamente levar esperança para as pessoas que trabalham com você.

“Eu sou o que todo mundo pode ser. Eu sou a possibilidade de cada um chegar lá”.

Mostre aos colaboradores que eles merecem sua confiança.

Quando você confia em alguém, está enviando a seguinte mensagem: “Você é digno de confiança”.

Que você acertará. No fundo, ela quer dizer: ”Matt, não me decepcione desta vez”. Quando as pessoas falam: “Estamos apostando que você fará” o melhor possível, Jane, estão, na verdade, dizendo o seguinte: “Não sabemos o que está acontecendo aqui, Jane”, estão, na verdade, dizendo o seguinte: ”não sabemos o que está acontecendo aqui, Jane, portanto nós esperamos que você faça o melhor para acabar com isso”. Esse discurso “confiante” dificilmente motivará Matt e Jane, pois não é convincente.

“A confiança que temos em nós mesmos nos leva a confiar-nos outros.”

François De La Rochefoucauld – escritor francês do século XVII.

 

Levante o moral da equipe.

Moral baixo = motivação baixa. Moral alta = desempenho alto.

Não basta que os executivos confiem na equipe, é preciso que a equipe também confie nos executivos – e em seu interesse em atender aos da equipe, e vice versa.

Lembre-se de que as pessoas são o maior ativo de uma empresa. A competência profissional abre portas, mas a chave para que tenham um desempenho superior está em suas atitudes. Por isso, quando mais confiança você demonstra nos colaboradores, mas eles se sentem motivados – e com o moral nas alturas.

Observe algumas formas de levantar o moral no ambiente corporativo:

Faça o que diz que vai fazer

 Prometa pouco e faça muito. Não há nada mais poderoso e confiável do que agir conforme suas palavras. O inferno está cheio de boas intenções; os colaboradores precisam ter certeza de que suas ações se realizarão. demonstrações práticas são bem vindas. O moral alto virá naturalmente.

Privilegie a integridade

 A integridade já foi descrita como a mais alta forma da inteligência humana. Não se trata apenas de uma expansão da honestidade, e sim do sentimento de confiança que nos resta quando perdemos nossas credenciais e reputação. A fibra moral, a consciência, as principais crenças e os valores de uma pessoa. Além de ser uma das bases do ambiente de trabalho com a atmosfera positiva.

Seja verdadeiro e mostre seu lado humano:

Você acredita mesmo no diz aos outros? Você libera pelo exemplo e se comporta conforme seus próprios valores? Seja honesto e não hesite em confidenciar seus erros, esperanças e sonhos. Você não será um bom gerente se agir de maneira contrária ao que realmente acredita. Desça do pedestal e interaja com os colaboradores – eles o respeitarão e apreciarão sua honradez e humanidade. Estas são as características fundamentais de um ambiente com altos padrões de moralidade.

“Devemos fazer mais que simplesmente a coisa certa. Devemos também fazer certo as coisas”. (Trecho de “Nossos valores”, da Pfizer Pharmaceutical)

 

Divirta-se e fique motivado.

  • Rir com as pessoas, não rir delas.
  • Relaxar, não se levar muito a sério.
  • Ter senso de humor.
  • Adotar uma atitude divertida e lúdica.
  • Planejar divertirem-se todos os dias.
  • Ajudar os outros a ver o lado “leve” das coisas.

Grosserias e falta de reconhecimento entre outras coisas pode ser a causa do baixo astral, descobrir estas causas ajuda no contra ataque à falta de motivação.

O ideal é evitar contratar pessoas com problemas psicológicos ou comportamentais.

Pergunte sua equipe gostaria de receber feedback, seja honesto e detalhista em suas avaliações e elogie as coisas positivas. Isso fortalece o funcionário e aumenta sua confiança, mesmo que se trata de um feedback corretivo. Dessa forma, você não terá surpresa e minimizará o desconforto causado pela desmotivação. Os gerentes que criam um ambiente honesto e reconhecem os acertos de seus colaboradores estimulam a cooperação e acabam alcançando maiores níveis de desempenho e produtividade.

Proteja a dignidade e a auto-estima dos colaboradores:

 O desrespeito é um dos fatores que podem acabar com a motivação de qualquer pessoa. Para criar um ambiente de respeito mútuo, evite fazer críticas em público; não aponte o dedo para ninguém – isso é desmoralizante e anti-profissional; nunca use um tom de voz condescendente, nem leve a crítica para o lado pessoal.

Conquiste a confiança dos colaboradores.

Quando você contrata e investe em pessoas, está criando um outro valioso para a empresa. A questão é como mantê-las cada vez mais motivadas. Pesquisas mostram que o item mais valorizado por um colaborador não é o salário, o cargo ou a conquista especial.

Saiba o que mantém os melhores talentos

Um ambiente agradável, no qual os colaboradores se sintam bem, e uma cultura que estimule a trabalhar com boa vontade.

Coloque o coração e a alma em sua equipe.

São essas relações inter-pessoais que permitem a transformação de que permitem a transformação de metas individuais e coletivas. E isso só acontece porque existem gerentes preocupados com quem está a seu redor.

“As pessoas não se importam com o quanto você sabe, desde que elas percebam o quanto você se preocupa”. Ou seja: quanto mais você se interessa pelos colaboradores, mas você cria um ambiente em que eles se preocupam com você e um com os outros. Isto aumenta a motivação, o desempenho e a vontade de melhorar cada vez mais.

Resumindo: Motivação é tudo.

Incorpore em sua rotina diária o hábito de elogiar e reconhecer publicamente as contribuições feitas pelos seus colaboradores.

Lidere com o coração

 A palavra “encorajamento” tem origem na palavra latina cor, que significa “coração”. Quando você encoraja os colaboradores, está liderando com o sentimento. Quando Bárbara Walters entrevistou o general Norman Schwarzopf, herói da primeira guerra do Golfo, ela perguntou como ele gostaria de ser lembrado. A resposta foi pura emoção: ”Quero ser lembrado como alguém que amou sua família, seus soldados e que foi amado por ambos”. A licença motivadora é efetiva. A resposta da equipe diante desse comportamento é natural e positiva.

  • Apresente à equipe metas e objetivos definidos.
  • Deixe que as pessoas criem suas próprias regras.
  • Encoraje a diversão e o senso de humor no trabalho.
  • Dê autonomia a seus colaboradores para que eles tomem decisões.
  • Cumpra o que você prometeu.
  • Deixe a equipe encontrar as soluções para os problemas. Não intervenha.
  • Permita que os colaboradores administrem o próprio orçamento.
  • Alto astral x baixo astral: algumas fases do projeto podem transcorrer mais calmamente do que as outras.
  • Deixe a equipe escolher o sistema de recompensas e incentivo.

Liberte o poder do potencial humano.

Você sabia que a capacidade de seu cérebro é praticamente ilimitada? Em termos de complexidade e poder, o cérebro supera até mesmo as tecnologias mais modernas. Sua capacidade de processamento é de mais de 30 bilhões de bits de informação por segundo. O combustível que alimenta seu cérebro é bastante simples: oxigênio e glicose. O resultado dessa combinação é energia pura. Sem isso, não há sinergia em sua empresa.

“Dê o máximo de si, pois tudo está dentro de você”.

Treine-os: Segundo o ditado popular, “conhecimento é poder”. Não é verdade.

O que gera poder é o modo como ele é usado. Então, qual é o tipo de treinamento que você oferece para sua equipe adquira novos conhecimentos e os utilize efetivamente? O aprendizado ajuda a melhorar as habilidades e os níveis de desenvolvimento dos membros da equipe e, indiretamente, mostra que você se preocupa com eles.

Lidere-os: Uma vez que os investimentos no aprendizado e desenvolvimento dos colaboradores tenha sido feira, é hora de começar um programa de treinamento. Você, em geral, se preocupa muito com a manutenção de seu computador e de outros equipamentos, mas esquece que a equipe também precisa de “manutenção”.

Para ser um gerente de sucesso é preciso amar as pessoas com quem se trabalha – e demonstrar isso encorajado uma atmosfera afetiva no trabalho, que se traduz em pequenos cuidados e disponibilidade para ajudar as pessoas sempre que necessitam.

O trabalho pode ser uma oportunidade para o crescimento pessoal, espiritual e financeiro. Se não for, então é uma grande perda de tempo”. (James A. Autry, consultor e escritor)

“Qual é a importância da motivação”?

Ela faz toda a diferença. “Você pode ser o gerente com mais conhecimento, experiência, talento e capacidade do mundo, mas se os colaboradores estiverem desmotivados, a
mediocridade reinará em sua empresa.”

Fonte: Coleção desenvolvimento profissional, Anne Bruce, Exame Você S/A, Editora Sextante.
Por: Delecampio José Menassa.

Anúncios


Categorias:Diversos, Gerência de Projetos

Tags:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: